Últimos Posts
Cultura

Teatro

Shows

Exposições

Noite

Festas

Esportes

Eventos Esportivos

Festa SandboX apresenta Nickodemus



A Festa SandboX, de André Menezes, apresenta pela primeira vez no Rio o DJ e produtor nova-iorquino Nickodemus no La Paz Club, na próxima quinta-feira, dia 29.

Nickodemus é famoso mundialmente pela festa Turntables on The Hudson que tem 17 anos de existência e passagens pelo Cairo, Istambul, Londres e agora chega pela primeira vez no Rio. Ele já fez remixes para nomes como Bob Marley, Nina Simone, Astor Piazzolla, Billy Holiday, entre outros. No momento, comemora os 10 anos de lançamento de seu primeiro CD, Wonderworld, e no final de fevereiro lança edição especial desse trabalho contendo um CD mixado com 23 músicas.

Junto de BoTECOeletro e do DJ Moos Juh, Nickodemus tocará sons globais num mesmo set, puxado por ritmos como house, funk, cumbia, salsa, hip hop e jazz, entre outros.

Em outra pista tocam os DJs Mukambo (residente da Groovalicious, de Bruxelas), Andrei Y., Gabriel Mattos, André Menezes e Caio Santiago.


Festa SandboX
Quando? Quinta, 29 de janeiro, às 23h
Onde? La Paz Club
Rua do Resende, 82 - Lapa
Quanto? R$ 20,00 na lista amiga até 1h

Proibido para menores de 18 anos


Saiba mais...

Desfile das Campeãs - Carnaval Rio 2015



Começa hoje, 26 de janeiro, a venda de 19 mil ingressos para arquibancadas e cadeiras individuais no Sambódromo para o Desfile das Campeãs do carnaval carioca. A apresentação acontece no sábado, 21 de fevereiro, a partir das 21h e nela se apresentam a seis primeiras colocadas de 2015 do Grupo Especial.

A comercialização é feita pelo sistema telefônico. Cada comprador pode adquirir até seis ingressos e o pagamento, agora feito somente em dinheiro, deve ser realizado nesta terça-feira, dia 27, das 10h às 16h, no estande do Bradesco, atrás do Setor 11 do Sambódromo, na Avenida Salvador de Sá.

Somente o titular do CPF usado para a compra poderá retirar os ingressos. Os compradores da meia-entrada têm de apresentar documento que comprove o benefício. No dia do desfile, funcionários das roletas dos setores 8 e 9 vão conferir a documentação.

Para a compra de camarotes para o Desfile das Campeãs é preciso contatar diretamente a central de vendas da LIESA - Liga Independente das Escolas de Samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro (21) 2233-8151. O mesmo deve ser feito para a compra de frisas. Ainda há frisas disponíveis nos setores 2, 3, 4, 6, 8, 10 e 11.

Os compradores de fora da Região Metropolitana devem fazer a reserva pelo número (21) 3570-8585, das 9h às 17h, de segunda a sexta. É necessário fornecer o número de um fax para que seja enviado o documento que permitirá o pagamento dos ingressos.

Veja abaixo os setores que têm ingressos à venda

Arquibancada:

Setor 2 (3445-0002): R$ 140 (1.900 ingressos)
Setor 3 (3445-0003): R$ 140 (1.900 ingressos)
Setor 4 (3445-0004): R$ 160 (1.900 ingressos)
Setor 5 (3445-0005): R$ 160 (1.900 ingressos)
Setor 6 (3445-0006): R$ 180 (1.900 ingressos)
Setor 7 (3445-0007): R$ 180 (1.700 ingressos)
Setor 8 (3445-0008): R$ 200 (1.900 ingressos)
Setor 10 (3445-0010): R$ 140 (2.200 ingressos)
Setor 11 (3445-0011): R$ 140 (2.200 ingressos)

Cadeiras individuais:

Setor 12 (3445-0012): R$ 120 (950 ingressos)
Setor 13 (3445-0013): R$ 120 (550 ingressos)



Saiba mais...

IV Feira Planetária - gastronomia/foodtruck


A Feira Planetária - gastronomia/foodtruck é o primeiro encontro de gastronomia e foodtruck do Rio de Janeiro!

Em sua quarta edição e com mais chefs se dedicando a criar carrinhos de comidas variadas, a Feira Planetária reúne os melhores "caminhões restaurante" na área externa do Planetário da Gávea, nas tardes dos dias 24 e 25 de janeiro. Com sucesso de público desde o primeiro evento, a "comida de rua" com qualidade e sofisticação, mas preços justos, prova que chegou para ficar no Rio de Janeiro.

IV Feira Planetária
Quando? Sábado, 24 de Janeiro das 13h às 22h
e Domingo, 25 de novembro, das 12h às 21h
Onde? Planetário da Gávea
Rua Vice Governador Rubens Berardo, 100 - Gávea
Quanto? Entrada franca.
Os trucks vão aceitar apenas dinheiro e cartão de débito.

Mais informações: facebook.com/feiraplanetaria


Saiba mais...

Kandinsky: Tudo Começa Num Ponto



Os amantes de arte moderna não poderão perder a mostra itinerante Kandinsky: Tudo Começa Num Ponto, que desembarca no Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB-RJ), no dia 28 de janeiro de 2015. A mostra poderá ser visitada até 30 de março, de quarta-feira a segunda, das 9h às 21h, com entrada franca.

Com curadoria de Evgenia Petrova e Joseph Kiblitsky, o projeto tem objetivo de apresentar ao público brasileiro os principais trabalhos e influências do russo Wassily Kandinsky (1866-1944).

Pela primeira vez na América Latina, uma mostra reúne centenas de obras e objetos do pintor, trazidos diretamente do acervo do Museu Estatal Russo de São Petersburgo e de coleções particulares da Alemanha, Áustria, Inglaterra e França.

Alguns destaques são peças de arte do norte da Sibéria e objetos de rituais xamânicos, que revelam um Kandinsky pouco conhecido no mundo ocidental.

Considerado um dos precursores da arte abstrata russa, Kandinsky fundou, ao lado Franz Marc e outros artistas modernistas, o grupo vanguardista Der Blauer Reiter (O cavaleiro azul), em Munique, na Alemanha.

A maioria de suas 159 pinturas em óleo sobre tela e 300 aquarelas, feitas entre 1926 e 1933, desapareceu durante a Segunda Guerra Mundial. Isso porque os nazistas consideravam o modernismo como um movimento de "arte degenerada".

Kandinsky: Tudo Começa Num Ponto
Quando? 28 de janeiro a 30 de março, das 9h às 21h
Onde? Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro
Rua Primeiro de Março, 66 - Centro
Quanto? Entrada franca

Mais informações: (21) 3808-2020 / ccbbrio@bb.com.br
Saiba mais...

Circuito das Estações 2015 - Etapa Outono - Rio de Janeiro


Vem chegando o outono, e com ele a etapa de mesmo nome do Circuito das Estações, que conta com 4 corridas todos os anos com o mesmo circuito, sendo uma corrida para cada estação do ano (outono é a primeira delas).



Em seu décimo ano levando milhares de atletas às ruas em 36 etapas realizadas em nove capitais brasileiras, o Circuito das Estações é hoje o maior e mais importante circuito de corridas do país e tem como objetivo manter os atletas correndo o ano todo, dando ao corredor parâmetros reais para comparar suas marcas de acordo com as diferentes condições climáticas e assim estabelecer metas para medir a melhora de seu condicionamento físico ao longo do ano.

Em cada etapa o corredor pode optar por seguir o percurso de 5 ou 10 km e, ao final das 4 etapas, completará sua mandala com as medalhas de cada estação.

A etapa Outono deste circuito de corridas será realizado, no Rio de Janeiro, no domingo, dia 8 de março às 8h, momento em que o Aterro do Flamengo voltará a ser o palco desta bela competição. As inscrições com preço reduzido para participar do evento podem ser realizadas até o dia 1 de fevereiro e cada inscrito receberá um kit composto por uma camiseta ProRun Seamless Technology, uma sacola de treino, uma bandana e uma medalha após o evento, pela sua participação. Além disto, os três primeiros colocados das provas de 5 e 10 km masculino e feminino receberão seus repectivos troféus.

As inscrições para o evento podem ser realizadas a partir do site oficial do evento.

Vamos aos dados da etapa Outono do Circuito das Estações na Cidade Maravilhosa:

Data: 8 de março de 2015
Local: Aterro do Flamengo
Percurso: 5km e 10 km
Horário da largada: 8:00 hs
Horário da retirada do chip: 6h30 às 7h30
Retirada do Kit: a definir

As inscrições individuais podem ser feitas com valores que variam de R$ 84,90 a R$ 164,90, dependendo da escolha do kit e da data de inscrição. É também possível fazer a inscrição individual para as quatro etapas do Circuito das Estações com valor reduzido ou ainda realizar a inscrição de grupos.

Para maiores informações sobre o evento, acesse o site oficial do evento.


Saiba mais...

Festa Balkanica



A Festa Balkanica, dedicada à Musica de Fanfarra, Gypsy e todo universo da Música Balkan, faz a sua jornada através dos sons e culturas e leva você a um passeio musical dos Balcãs. Ritmos, músicos e cantores, gêneros mistos e gerações estão todos no encontro deste projeto. Nessa festa, música tradicional e músicas dos Balcãs atemporais misturam com os sons atuais (rock, hip hop, eletrônica, reggae, dub, etc) e traz a tona essa união em expansão. Pioneiros desta cena (Esma Redzepova, Taraf de Haidouks, Gogol Bordello, Mahala Rai Banda), a nova geração que renova e revoluciona os ritmos de centenários Balcãs (Balkan Beat Box, Shantel, Besh O Drom, Bucovina Clube...)

Nesta edição a festa invade o La Carmelita e apresenta um repertório que vai deixar todo mundo dançando a noite inteira e apresenta nas carrapetas os DJs Rodrigo Cavalcanti e Malungo (www.mundomalungo.com) fazendo uma pista de dança totalmente Balkanica / Gypsy / Fanfarra pra galera dançar muito.


Festa Balkanica
Quando? Sexta, 23 de janeiro, às 23h
Onde? La Carmelita
Rua do Rezende, 14 - Lapa
Quanto?
R$ 10,00 com nome na lista amiga
R$ 20,00 sem nome na lista
Entrada franca para aniversariante com acompanhante

A lista amiga será encerrada no dia do evento, às 18h
Entrada proibida para menores de 18 anos

Para lista amiga e mais informações: clique aqui


Saiba mais...

Corrida e Caminhada Contra o Câncer de Mama Circuito 2015 - Rio de Janeiro



Entre os mais diversos eventos que a campanha O Câncer de Mama no Alvo da Moda promove, sem dúvida, um dos mais importantes e reconhecidos é a Corrida e Caminhada Contra o Câncer de Mama. Criada em 1999, pelo Instituto Brasileiro de Controle do Câncer (IBCC), o evento fitness já faz parte do calendário de milhares de pessoas, atletas ou não, que todos os anos vestem a camisa estampada com o alvo azul, enchem suas garrafinhas d'água e aproveitam o percurso.

Em todos esses anos de existência, mais de 125 mil pessoas que optam pela boa qualidade de vida, já se reuniram por esta nobre causa em todas as cidades por onde a Corrida e Caminhada passou. Quem participa da Corrida e Caminhada, mais do que lutar pelo podium de chegada, luta pela conscientização sobre o câncer de mama e a importância da realização do autoexame para a detecção precoce do tipo de câncer que mais mata as mulheres no País.

A primeira largada foi dada em São Paulo, em 1999, no Parque do Ibirapuera. No ano seguinte, o evento percorreu as ruas de Belo Horizonte e Rio de Janeiro. Ao longo de sua existência outras cidades também foram cenários para a Corrida e Caminhada: Blumenau - SC, Brasília - DF, Curitiba - PR, Recife - PE, Ribeiro Preto - SP, Santos - SP, Salvador - BA, São José dos Campos - SP e Florianópolis - SC.

Com a cobertura da imprensa, o apoio de parceiros e a presença de artistas que filiam-se à causa, em todas as etapas, o projeto ganhou prestígio e sucesso, caindo no gosto popular. Em 2008, a organização do evento atendeu aos pedidos masculinos e abriu as inscrições para que os homens também pudessem participar.

O famoso alvo azul da campanha O Câncer de Mama no Alvo da Moda consolidou-se ao longo dos anos como um símbolo da mulher na luta pela saúde e qualidade de vida. A Corrida e Caminhada levanta a bandeira da causa bem no alto e mostra para todo o País que o câncer de mama é um obstáculo que pode ser superado.

A Corrida e Caminhada Contra o Câncer de Mama deste ano na cidade do Rio de Janeiro contará com uma única etapa de 5 quilômetros, a ser realizada no próximo dia 31 de maio com largada no Monumento aos Pracinhas, no Aterro do Flamengo.


Corrida e Caminhada Contra o Câncer de Mama
Quando? 31 de maio de 2015
Onde? Monumento aos Pracinhas, Aterro do Flamengo
Quanto?
R$ 50,00 até o dia 9 de fevereiro, às 16h.
R$ 55,00 de 9 de fevereiro após às 16h até 9 de março, às 16h.
R$ 60,00 de 9 de março após as 16h até o dia 22 de maio, ou quando o número máximo de 7.000 inscritos for atingido.

Mais informações no site oficial do evento.


Saiba mais...

Nem Mesmo Todo o Oceano



Em 2013 Inez Viana adaptou e dirigiu no palco principal do Espaço Sesc, em Copacabana, o espetáculo Nem mesmo todo o oceano, adaptação teatral do romance homônimo do escritor, dramaturgo e pensador Alcione Araújo. A peça conta os instantes que antecederam o golpe militar e os primeiros momentos da repressão, desvelando os "porões" da ditadura. Após a temporada de estreia o espetáculo foi apresentado em Juazeiro do Norte, Iguatu e Crato, cidades do Ceará, em Campina Grande na Paraíba, Belo Horizonte, participou da programação do Festival de Curitiba e do Tempo Festival, além de novas temporadas no Rio de Janeiro, sendo indicado ao Prêmio APTR na categoria Melhor Produção e ao Prêmio Questão de Crítica nas categorias Melhor Direção e Melhor Trilha Sonora. A partir do dia 24 de janeiro de 2015 o drama será apresentado em circulação por Lonas Culturais e Arenas Cariocas com ingressos grátis.

Nem mesmo todo o oceano levanta questões de ética e valores, contando a história fictícia de um médico recém-formado, desde a sua difícil infância de menino pobre no interior de Minas, os primeiros tempos de estudante vivendo em pensões no Rio de Janeiro, as decepções amorosas, as frustrações existenciais, a difícil sobrevivência em meio às feras do asfalto selvagem, enfatizando sobretudo o seu processo de perversão espiritual.

"Na peça fatos reais se misturam à ficção, nos trazendo imediata identificação de uma das mais agravantes e dolorosas épocas do nosso país, a era da inocência perdida", comenta a diretora.

Na encenação de Inez Viana os atores da Cia OmondÉ: Leonardo Brício, Iano Salomão, Jefferson Schroeder, Junior Dantas, Luis Antonio Fortes e Zé Wendell, se intercalam nos diversos personagens que compõem a trama, trajam figurino simples porém elegante e atuam com a liberdade do espaço vazio (não há cenário), com isso a diretora privilegia o ator, colocando-o como centro do espetáculo, valorizando o jogo teatral e a imaginação do espectador.

Assista abaixo ao trailer do espetáculo:


Nem Mesmo Todo o Oceano
Apresentações:

Sábado, 24 de janeiro, às 20h
Lona Cultural Municipal João Bosco
Av. São Félix, 601, Parque Orlando Bernardes - Vista Alegre

Sexta, 30 de janeiro, às 20h
Arena Carioca Fernando Torres
Rua Bernardino de Andrade, 200, Parque Madureira - Madureira

Sábado, 31 de janeiro, às 19h
Lona Cultural Municipal Gilberto Gil
Avenida Marechal Fontenelle, 5000 - Realengo

Quarta, 4 de fevereiro, às 20h
Lona Cultural Municipal Jacob do Bandolim
Praça Geraldo Simonard, Pechincha - Jacarepaguá

Quarta, 11 de fevereiro, às 20h
Lona Cultural Municipal Elza Osborne
Estrada Rio "A", 220 - Campo Grande

Quinta, 12 de fevereiro, às 20h
Lona Cultural Municipal Renato Russo
Praça Poeta Manoel bandeira, s/nº - Ilha do Governador

Quinta, 26 de fevereiro, às 19h
Lona Cultural Municipal Herbert Vianna
Rua Ivanildo Alves, s/nº, Nova Maré - Maré

Sexta, 27 de fevereiro, às 20h
Lona Cultural Municipal Sandra de Sá
Rua 12, quadra 219, Guandu 1 - Santa Cruz

Quarta, 4 de março, às 20h
Arena Carioca Jovelina Pérola Negra
Praça Ênio, s/nº - Pavuna

Quinta, 5 de março, às 20h
Arena Carioca Dicró
Parque Ari Barroso - Penha

Quinta, 12 de março, às 20h
Lona Cultural Municipal Carlos Zéfiro
Estrada Marechal Alencastro, s/nº - Anchieta

Sexta, 13 de março, às 20h
Lona Cultural Municipal Terra
Praça Edson Guimarães, s/nº - Guadalupe

Quarta, 18 de março, às 20h
Arena Carioca Chacrinha
Rua Soldado Elizeu Hipólito, s/nº - Guaratiba


Entrada Franca.


Saiba mais...

Blocos de Rua - Carnaval Rio 2015


A partir deste sábado, dia 17 de janeiro, a Cidade Maravilhosa abre alas, ruas, praças e avenidas para a passagem de milhões de foliões. A terça-feira de carnaval é só no dia 17 de fevereiro, mas os blocos antecipam oficialmente a folia em um mês e a esticam por quatro dias mais, já que o último desfile será no domingo, 22 de fevereiro, após a Quarta-Feira de Cinzas.

Ao todo, são 456 blocos e 587 desfiles em toda a cidade. A Zona Sul concentra a maior parte deles – 141 blocos. Outros 94 desfilam pelo Centro, 78 na Zona Norte, 58 na Tijuca, 36 na Barra/Jacarepaguá, 27 na Ilha do Governador e 22 na Zona Oeste.

Cordão da Bola Preta
O primeiro desfile oficial dos blocos de rua acontece no Centro. Eles que Digam abre a festa neste sábado, 17 de janeiro, na Travessa São Diego, a partir das 16h. É também no Centro que circulam os três maiores blocos: o Bloco da Preta, que desfila no dia 8 de fevereiro, a partir das 11h pela Av. Presidente Vargas; o Cordão da Bola Preta, que sai no dia 14 de fevereiro às 9h30 na Av. Presidente Antônio Carlos; e o Monobloco, que arrasta a multidão a partir das 9h do último domingo de folia, 22 de fevereiro, também na Presidente Vargas.

A Banda de Ipanema, um dos mais populosos da Zona SUl, tem três datas de folia: 31 de janeiro, 14 e 17 de fevereiro, sempre a partir das 17h30, com concentração na Praça General Osório. Da mesma praça sai o também gigante Simpatia é Quase Amor, nos dias 7 e 15 de fevereiro, a partir das 16h. Com menos carnavais em suas histórias, mas também com multidão de público, circulam pelo Aterro do Flamengo, a partir das 15h, o Sargento Pimenta, que toca só Beatles, no dia 16 de fevereiro, e a Orquestra Voadora, só de sopros, no dia 17.

Na Zona Norte, um dos maiores blocos que tradicionalmente desfilam é a Banda de Madureira, que vai fazer a festa no dia 14 de fevereiro, a partir das 16h, com concentração na Rua Carvalho de Souza. Outro bloco que arrasta multidão também em Madureira, bairro berço da Portela e da Império Serrano, é o Mulheres de Zeca, que fará a festa também no dia 14 de fevereiro, a partir das 16h, dentro do Parque de Madureira.

Sargento Pimenta
A Banda da Barra desfila no dia 8 de fevereiro, a partir das 15h, na orla da praia da Barra da Tijuca pela Avenida Lúcio Costa, com concentração em frente ao bondinho da Banda da Barra. Já na região de Jacarepaguá, um dos blocos com maior expectativa de público é a Banda do Pechincha, que se concentrará a partir das 18h do dia 7 de fevereiro no Largo do Pechincha.

Nomes irreverentes marcam alguns dos blocos que desfilam na Zona Oeste. Tem, por exemplo, o Virilha de Minhoca, que terá quatro dias consecutivos de folia: 14, 15, 16 e 17 de fevereiro, sempre a partir das 19h, com concentração na Rua Fonseca, em Bangu. Perereca Vadia sai às 17h do dia 16 de fevereiro a partirda Praça Nossa Senhora, em Campo Grande. Tem ainda o Meia Dúzia de Gatos Pingados, com público estimado em mil pessoas, que sai às 19h do dia 13 de fevereiro pelo calçadão da Cônego Vasconcelos, em Bangu.

Os tijucanos também têm tradição de décadas no carnaval de rua do Rio. A Banda Haddock, por exemplo, faz a festa na região há mais de 30 anos. Este ano ela desfila no dia 7 de fevereiro, a partir das 18h, com concentração na Rua Afonso Pena. A irreverência também faz parte do nome de alguns blocos por lá, como o Butano na Bureta, que sai no Maracanã, também no dia 7 de fevereiro, a partir das 13h. Tem ainda o Já Comi Pior Pagando, no mesmo dia, a partir das 16h, na Rua Leite de Abreu.

Mais de dez mil pessoas são esperadas no bloco Ilha Encosta que Ele Cresce, um dos maiores do bairro da Ilha do Governador, que desfila no dia 7 de fevereiro pelo Jardim Guanabara, com concentração ao meio dia na Praça Jerusalém. No mesmo dia, Os Monarcas fará a festa na Ribeira, a partir das 17h. Em 15 de fevereiro será a Vermelho e Branco da Colônia Z 10 a arrastar mais de dez mil pessoas pela Cacuia a partir das 11h na Praça São Pedro.




Saiba mais...

Banco de Tempo


As artistas visuais Patricia Gouvêa e Isabel Löfgren lançam o livro Banco de Tempo no dia 17 de janeiro, às 15h, no Auditório do Museu da República, com bate-papo das artistas com os convidados Isabel Portella, Antonio Fatorelli e o público. O livro traz fotografias, desenhos, imagens de arquivo e textos da pesquisa que as artistas iniciaram em 2011 no Museu e Jardim da República com foco nos usos do tempo, espaços de fluxos, viagens e desejos, e que foi apresentada primeiramente como exposição em 2012, na Galeria do Lago, espaço de arte contemporânea da instituição. O livro traz, no entanto, novos conteúdos, incluindo um inventário de bancos ao redor do mundo que já conta com mais de 500 imagens.

"Uma foto de arquivo do presidente Nilo Peçanha, confortavelmente recostado em um dos bancos do amplo jardim da sua residência oficial, mostra-o em um momento de descontração, cercado pelos seus cães, em um dia morno, tropical. Essa imagem prosaica da figura pública de maior importância nesse período da recém instaurada república brasileira desempenhou o papel de imagem inspiradora do percurso criativo proposto pelas artistas Patricia Gouvêa e Isabel Löfgren", destaca Antonio Fatorelli, autor de ensaio inédito publicado no livro.

Até hoje quem passeia pelo Jardim da República pode notar restos de inscrições nos mais de 100 bancos que estão no local. Pedaços de frases, palavras desconexas. Estas pistas são o que sobrou da intervenção Desejo de Horas, parte da exposição Banco de Tempo, com as respostas de frequentadores do local à pergunta Se você tivesse mais horas em um dia, o que faria com elas? As respostas, aplicadas em cada banco, revelaram reflexões sobre o uso do tempo ora profundas, ora divertidas: "Para bater um papo com o Divino!"; "Para pregar um botão"; "Para entrar no paraíso"; "Para descobrir meu nome no mundo"; "Para que em sonho apareça o anjo".

Banco de Tempo usou dois elementos principais como motes para pensar o tempo e seus usos: o banco – mobiliário urbano ao mesmo tempo específico e universal –, como símbolo de repouso e lugar de afetos compartilhados, e uma mala antiga, como símbolo de deslocamento e viagens ora vividas, ora imaginadas.

Lançamento do livro Banco de Tempo
Quando? 17 de janeiro, às 15h
Onde? Auditório do Museu da República
Rua do Catete, 153 - Catete
Quanto? Entrada Franca

Mais informações: (21) 3826-7984 / www.museudarepublica.org.br

Saiba mais...

Cinza


Esqueça o "era uma vez..." e os finais felizes. Cinza é um musical rock n’ roll no mais amplo sentido. Embora o pano de fundo do musical possa ser identificado com um famoso conto de fadas da "gata borralheira", que por sua vez é inspirado no conto de Rhodopis da Grécia antiga, o fio narrativo da história é apenas um pretexto para um mergulho profundo na psique humana, uma delirante metáfora onde hipocrisia, sexualidade, incongruência, frivolidades, estupidez, covardia, maldade, preconceito e ilusão costuram uma história de um universo absurdo e irônico, doloroso e cruel, que reflete os caminhos e devaneios infinitos da mente humana. Tudo costurado em um clima rock n’ roll, contado no palco por 11 performers e uma afiada banda de cinco músicos.

Foto ©Renato Pagliacci
Cinza tem texto, direção, músicas, letras e direção musical de Jay Vaquer, que compôs uma série de 37 canções originais e percorreu um longo caminho ao dedicar os últimos anos para sua construção. Formado pelo Teatro Escola Célia Helena, Vaquer já é um veterano nos palcos, íntimo das coxias desde a adolescência. Nos últimos anos, no entanto, dedicou-se mais à música, tendo lançado sete CDs. Jay já havia composto diversas trilhas para o teatro, mas o divisor de águas de sua carreira foi em 2000 quando viveu "Justo", personagem principal do musical Cazas de Cazuza – obra seminal que marca o início da retomada do teatro musical brasileiro.

"Comecei a escrever Cinza de uma forma orgânica, não racional, e eu mesmo me surpreendi com a proporção que tudo tomou. Virou um processo viciante, que me dá um enorme prazer e uma realização que eu ainda não havia experimentado" - explica ele. Criador de grandes imagens e tramas intrincadas em seus clipes e letras, Jay transportou para o palco de Cinza seu universo imagético: "Sou muito visual, sempre foi assim. Enquanto escrevia Cinza, eu já visualizava o espetáculo grandioso, cinematográfico. Estou bem satisfeito com o resultado".

Com uma duração de 125 minutos, Cinza é, mais que uma história, um delírio, um desfile de sensações e situações que povoam a mente da protagonista. C. é uma garota extremamente inteligente, estudiosa, observadora e tímida. Foi criada em um ambiente familiar complicado. Sua mãe sofria de esquizofrenia em um grau severo. Seu pai a criou como pôde, fazendo o possível para que ela não presenciasse os surtos da mãe. Com a mãe doente, o pai arruma uma amante, Emilie. Ver a família desestruturar-se diante dos seus olhos e o sentimento de impotência fez com que os primeiros sintomas da mesma doença de sua mãe começassem a aparecer, através de "amigos imaginários".

Com o trágico suicídio de sua mãe, que se mata a facadas, C. vê seu pai tornar-se um homem apático, deprimido, que definha a cada dia e passa a ser dominado pela mulher que não é sua mãe. C. não sabe lidar com essa situação e os sintomas vão se agravando, fazendo com que ela se isole para não causar problemas ao pai. Os livros e os estudos são suas válvulas de escape. Quando o pai se suicida com um tiro, C., sem conseguir suportar a perda do seu último elo familiar, sucumbe. Em um furacão de excesso de informações e sentimentos, é arrastada para dentro do pesadelo da sua própria mente.

Foto ©Renato Pagliacci
Nesta perturbadora viagem, C. visita tudo o que viu e viveu, deparando-se com as questões que cercam a vida humana: ódio, sexo, religião, moral, preconceito, morte, hipocrisia, poder, entre muitas outras coisas representadas por seres que são sombras do seu próprio ego. Cada encontro com uma sombra é conflituoso, pois C. se mostra justa, idealista, sonhadora. Deparar-se com um lado de si mesma que representa o completo oposto de suas qualidades faz com que ela se desconstrua, reveja e critique todos os aspectos que constroem a personalidade e as relações humanas. E tudo que ela reprime, o cão "Jeremias", seu alter ego alucinado e alucinante, expressa com um latido.

Ao longo do caminho, C. percebe que as respostas para as suas questões não bastam e que se perdeu numa questão que não há sombra que responda: quem ela é? Nesse momento, C. nota o quão imersa ela está nesse universo. Sem mais saber o que é real e o que é irreal, C. precisa escolher se luta para encontrar a realidade ou se continua na ilusão, para encontrar a si mesma. Em sua busca sem respostas, a protagonista acaba sucumbindo e criando um universo paralelo, onde os personagens de sua vida se tornam personagens de contos de fadas.

Segundo a psicanalista Sara Buzak, "C. alterna realidade e imaginação delirante, através do seu alter ego, que representa sua voz verdadeira, sua catarse, que late ao longo de todo o espetáculo. Toda a trama expressa, de forma gritante, a presença de um sintoma psicossocial, o desamparo, estado de espírito propício à instalação de importantes problemas emocionais. Vaquer, neste grandioso espetáculo de estreia, nos brinda com a trajetória trágica de uma jovem cujos sentimentos mais puros, sonhos e esperanças, são incinerados pela dor, sofrimento e desamparo. Restam-lhe as cinzas".


Cinza
Quando? Quartas, 21 e 28 de janeiro e 4 e 11 de fevereiro, às 21h
Onde? Teatro Oi Casa Grande
Rua Afrânio de Mello Franco, 290 - Leblon
Quanto? R$ 50,00 a R$ 80,00


Saiba mais...

Festival Midrash de Teatro



Um festival de teatro em pleno verão carioca, com mais de 40 apresentações e 20 produções, nos meses de janeiro e fevereiro. É o que promete o Festival Midrash de Teatro, que acontece de 12 de janeiro a 5 de fevereiro, no Rio de Janeiro. Inspirado no Festival de Avignon, realizado anualmente na França, a iniciativa consolida o Midrash como um espaço de teatro na cidade. Durante a semana, diferentes peças estarão em cartaz. Aos domingos, um "poupourri" de apresentações teatrais únicas. Cada espetáculo terá o custo de R$ 30,00 e os ingressos podem ser comprados online, no site do Midrash.

Durante quatro semanas, haverá dois espetáculos teatrais por dia, às segundas, terças, quartas e quintas-feiras. Aos domingos, quatro apresentações teatrais únicas, uma infantil às 11h e as demais para adultos, em três horários, às 17h, às 19h e às 20h. Completando a programação, o festival oferece um curso livre de teatro para jovens às sextas-feiras e uma oficina de voz às segundas-feiras.

A ideia do evento é de Nilton Bonder, fundador do Midrash, inspirada pelo festival francês, uma das grande manifestações internacionais do espetáculo vivo contemporâneo, realizado no verão europeu, em julho, desde 1947. "O festival é uma resposta natural a um movimento que começou há cerca de três anos no Midrash. Fomos escolhidos pelo teatro. Regularmente recebemos um número muito grande de propostas e nem sempre podemos atender à demanda", explica Nilton Bonder. Toda essa procura tem um motivo. O Midrash é considerado um espaço intimista que permite uma proximidade grande entre o ator e o espectador, favorecendo uma troca intensa e muito rica entre os dois.


Programação

A Fila Anda
Segundas, dias 12, 19 e 26 de janeiro e 2 de fevereiro, às 21h
Ivete é uma mulher que sempre sonhou com um grande amor, até quando encontrou nos livros de auto-ajuda a sua salvação. A Fila Anda retrata a realidade de muitas pessoas que têm dificuldade de se relacionar numa sociedade que cobra tanto que todos sejam felizes.

Como a Chuva nos Faz Falta
Terças, 13, 20 e 27 de janeiro e 3 de fevereiro, às 19h
Como a chuva nos faz falta narra a história de um casal, que tenta a todo o momento descobrir onde é que está o amor entre eles. Em diferentes estações, em diferentes tempos, entre idas e vindas. Em um certo momento do relacionamento decidem rompê-lo, mas com uma decisão: se encontrarem uma vez na semana por apenas 25 minutos, com a condição de não falar da relação, nem do passado, nem do futuro. Tudo isso para não sentir a falta que o término os traria, quando já não se tem a total certeza de um amanhã juntos. É uma peça que fala do amor, da capacidade do ser humano de amar e ser amado, da questão da falta que o outro faz em nossas vidas, da perda e da redescoberta de uma vida sem o outro.

A Vida como Ela É
Terças, 13, 20 e 27 de janeiro e 3 de fevereiro, às 21h
A peça gira em torno das crônicas escritas por Nelson Rodrigues entre 1950 e 1961. São 12 atores em 12 contos extraordinários, que narram o cotidiano nada normal de famílias do subúrbio carioca. O texto gira em torno dos temas adultério, pecado, desejos e moral. Delírios de uma mulher mal amada, a agonia de um homem que só pensa em mulher, as irmãs que disputam o mesmo homem, aquele que só amava mulheres mortas, o traído pela esposa, o pai que abusa da filha, a mulher que não sabe se trai e a que trai demais, são algumas histórias dessa narrativa.

Roliúde
Quartas, 14, 21 e 28 de janeiro e 4 de fevereiro, às 19h
Bibiu é um sertanejo típico, mas apaixonado pelo cinema. Na luta pela sobrevivência, vencendo a seca, a fome e os poderosos, ele ganha a vida contando nas ruas e praças públicas os maiores clássicos do cinema mundial. Ganha fama como se fosse um repentista ou folheteiro, faz sucesso com as mulheres, e tira lições das "fitas", comparando as histórias das telas com sua própria vivência. Acima de tudo, Bibiu nos mostra como nossos medos, anseios e paixões são os mesmos, independente dos locais, épocas ou idiomas falados.

Cartas de Maria Julieta e Carlos Drummond de Andrade
Quartas, 14, 21 e 28 de janeiro e 4 de fevereiro, às 21h
O monólogo traz ao público a correspondência de uma vida inteira, trocada entre um dos nossos maiores poetas e sua única filha. Desde que Maria Julieta tinha cinco anos de idade, pai e filha iniciam uma profunda e intensa cumplicidade, expressa através de desenhos, cartas, bilhetes estendendo-se ao longo da vida em que as palavras são o veículo maior da demonstração de amor entre os dois.

Hominus Brasilis - A história do mundo em um palco de 2m²
Quintas, 15, 22 e 29 de janeiro e 5 de fevereiro, às 19h
A peça conta a história da humanidade de uma forma nunca antes vista. A partir de detalhada pesquisa sobre a trajetória da homem no mundo, o grupo de quatro atores utiliza corpo e sonoplastia vocal, ao vivo, para contar episódios marcantes da História. Desde o Big Bang até hoje, a peça pincela grandes momentos da humanidade e convida o espectador a se emocionar com o surgimento da vida, a extinção dos dinossauros, a expansão marítima da Europa, as grandes guerras e também eventos que marcaram a história brasileira, como a chegada dos portugueses, a escravidão, a ditadura militar e a repentina morte de Ayrton Senna. O espetáculo utiliza uma linguagem cênica inédita no Brasil: todas as cenas acontecem sobre uma plataforma de 2m² (2m x 1m).

A Descoberta das Américas
Quinta, 15 de janeiro, às 21h
O monólogo conta a história de Johan Padan, um sujeito que narra os fatos que se sucederam lá pelos idos de 1492, quando embarcou em Sevilha numa caravela de Cristóvão Colombo. O malandro e fanfarrão se vira contando vantagens, sempre em fuga da fogueira da Inquisição. Júlio Adrião é um Zé ninguém de nome Johan Padan. Rústico, esperto e carismático, escapa da fogueira da inquisição embarcando, em Sevilha, numa das caravelas de Cristóvão Colombo. No Novo Mundo, nosso herói sobrevive a naufrágios, testemunha massacres, é preso, escravizado e quase devorado pelos canibais. Com o tempo, aprende a língua dos nativos, cativa-os e safa-se fazendo "milagres" com alguma técnica e uma boa dose de sorte. Venerado como filho do sol e da lua, catequiza e guia os nativos numa batalha de libertação contra os espanhóis invasores.

Foi Parar no Beleléu
Domingo, 18 de janeiro, às 11h
Marieta é uma criança muito consumista. Algo acontece no dia em que perde o colar de sua mãe e ela conhece o Beleléu, lugar onde todas as coisas que perdemos vão parar. Lá, ao lado da sua boneca e do Sr. Cabide, ela faz importantes e valiosas descobertas.

Solo de Marajó
Domingo, 18 de janeiro, às 17h
Utilizando o mínimo de recursos cênicos, o ator paraense Cláudio Barros narra oito pequenas histórias que fazem um retrato da paisagem urbana da Ilha de Marajó, revelando um retrato multifacetado das relações humanas de quem vive mergulhado nos confins da Amazônia.

Vestido de Noiva
Domingo, 18 de janeiro, às 19h
A história de um trágico triângulo amoroso, formado por Pedro, Lúcia e sua irmã - Alaíde. Esta última é a personagem central, cujo atropelamento desencadeia toda trama. Ela viaja nos planos da alucinação, passado e presente, para relembrar quem ela foi e quem ela é. O seu encontro com uma prostituta de cabaré do século passado será o ponto de partida para a investigação que Alaíde irá fazer sobre si para desvendar o mistério que ronda o seu casamento e possíveis traições que permeiam sua vida.

Teatro Espontânedo do Rio de Janeiro
Domingos, 18 e 25 de janeiro, às 20h30
No teatro espontâneo não há peça ou texto, apenas um tema sobre o qual o público é convidado a se manifestar. Conduzido e estimulado pelo diretor e por atores auxiliares, espontaneamente o debate vai se transformando em cenas teatrais. O objetivo não é chegar a uma conclusão, mas democratizar o debate. E expressar as opiniões não só com a voz, mas também com o corpo, encenando-as.

Todo Mundo Tem um Pouco
Quintas, 22 e 29 de janeiro e 5 de fevereiro, às 21h
Sete esquetes independentes que abordam, através da comédia, questões que permeiam o dia a dia de todo o seu humano e os relacionamentos nas sociedades atuais. Como tema, o desejo de comunicação em confronto com a falta real dela e a diferença que a opinião do outro pode causar em nossas vidas, refletindo as carências e solidões de todos nós.

Mr. Bruno e a Máquina Marionete
Domingo, 25 de janeiro, às 11h
Um violino que anima e empresta voz e personalidade a bonecos. Mr Bruno é um verdadeiro one man show. Num espetáculo diferente, com música ao vivo e marionetes, ele cria, toca, canta, contagia, brinca e manipula seus bonecos. Mr Bruno cria um clima de suspense e emoção numa aventura em que ele entra no mundo da Máquina Marionete e encontra a trupe de marionetes. A Máquina Marionete é uma engenhoca maluca, inventada por ele, permite movimentar os bonecos e tocar violino simultaneamente. No repertório, Monti Czardas, músicas brasileiras e variadas. Além do violino, instrumentos como berimbau de boca, agogô e pratos ajudam Bruno a dar ritmo ao espetáculo, criando clima de suspense e emoção. Repleto de ação, humor, surpresas e variedades, o show encanta pessoas de todas as idades e culturas.

As Moças
Domingo, 25 de janeiro, às 17h
Duas amigas dividem um quarto e sala. Numa noite, regada a vinho, colocam suas questões existenciais em jogo, numa espécie de acerto de contas mútuo.

Trans Hamlet Formation
Domingo, 25 de janeiro às 19h
A proposta é mergulhar na tragédia do atormentado príncipe da Dinamarca, pelo ponto de vista dos outros personagens da peça e dos atores que participam da montagem. Sendo assim, trechos da peça são encenados e ampliados por textos escritos pelos próprios atores. O elenco de seis homens transita pelos personagens num jogo de linguagens distintas, para criar uma analogia entre os temas da peça e a atual situação da América Latina.

Maria Minhoca
Domingo, 1 de fevereiro, às 11h
Uma linda história de amor com muita trapalhada. Maria Minhoca, apaixonada por Chiquinho Colibri, precisa provar para o pai que ele é seu verdadeiro amor.

Antes Que Você Parta pro Teu Baile
Domingo, 1 de fevereiro, às 17h
Espetáculo teatral que traz fragmentos da obra de Ana Cristina Cesar (Ana C.), expoente da poesia marginal da década de 1970/80. A peça mescla elementos do teatro performativo e épico apresentado como poesia cena que procura construir uma zona de intimidade entre o espectador e os escritos da poeta carioca.

Não Me Toque, Estou Cheia de Lágrimas
Domingo, 1 de fevereiro às 19h
Obra coreográfica baseada na personalidade de Clarice Lispector. A estrangeiridade de sua prosa, a singularidade dos seus livros e os movimentos que ela executou na vida desde o nascimento até a morte provocam a concepção dessa obra solo que enfatiza a perturbação e inquietação dessa mulher paradoxal, sombria e corajosa. Sua intimidade com as palavras refletiu a necessidade de se expressar em uma moldura gestual, ora sofisticada ora impregnada de mágoas e reflexões sobre a vida. O espetáculo é constituído de três cenas: o nascimento de Clarice, a infância de Clarice e Clarice adulta.

CURSO: Sua Voz em Cena
Igo Ribeiro (professor de teatro, diretor e dramaturgo)
Tatiana Ceschini (vocal coach, professora de canto e diretora musical)
Segundas, 12, 19 e 26 de janeiro e 2 de fevereiro, das 18h às 21h
Um intensivão de férias, com quatro aulas e apresentação final (com gravação) de uma radionovela. Para atores profissionais, estudantes de teatro, dubladores, profissionais da voz e qualquer pessoa que tenha interesse em trabalhar seus recursos vocais. O curso terá enfoque no trabalho de voz e todos os seus recursos, explorando esse instrumento na construção de personagens e sonoridades para serem utilizados na apresentação final de uma radionovela, aberta ao público. Aulas com Igo Ribeiro (professor de teatro, diretor e dramaturgo) e Tatiana Ceschini (vocal coach, professora de canto e diretora musical). Os alunos receberão um cd com o resultado final.

CURSO: Curso Livre de Teatro para Jovens
Lena Brito (atriz e professora de teatro)
Sextas, 16, 23 e 30 de janeiro e 6 de fevereiro, das 16h às 18h
Faixa etária: 16 anos em diante
Curso para iniciantes e iniciados na arte de representar, em busca de conhecimento e aperfeiçoamento. O objetivo é oferecer um espaço criativo para o exercício da teatralidade, através de trabalho de corpo, jogos dramáticos, preparação vocal e improvisação. Criar cenas a partir de fotos e registros apresentados pela professora e/ou pelos alunos, entrelaçando impressões e histórias pessoais vividas à narrativas poéticas literárias e teatrais.


Festival Midrash de Teatro
Quando? 12 de janeiro a 5 de fevereiro de 2015
Onde? Midrash Centro Cultural
Rua General Venâncio Flores, 184 - Leblon
Quanto? Espetáculos R$ 30,00 (cada); Cursos R$ 240,00/mês

Mais informações: (21) 2239-1800 / secretaria@midrash.org.br
Saiba mais...

PHUNK! de verão!


A Festa PHUNK! começou em setembro de 2001 formada pelo núcleo de DJs Saens Pena (o cineasta Emilio Domingos), Coisa Fina (a crítica e curadora de artes visuais Daniela Labra) e Arthur Miró (o professor de literatura brasileira e ensaísta Frederico Coelho) e pelo VJ Simpla (o diretor e roteirista Simplício Neto).

Com 13 anos completados em 2014, a PHUNK! sempre procura atualizar seu som, com os DJs tocando vários ritmos e valorizando a diversidade de estilos musicais. Na próxima edição da festa, dia 17 de janiero no La Paz, os DJs residentes receberão os convidados BNegão, e seu projeto de discotecagem Bota Som, e Bernardo Oliveira, professor, crítico de música e cinema, toca o blog Matéria e produz o Quintavant/QTV.

"Acredito que a música é uma excelente ferramenta, um excelente motivo para unir (e reunir) pessoas, das mais diferentes áreas da vida, em um mesmo lugar, numa harmonia rara em se tratando do nosso turbulento planeta Terra. Essas sessões que faço, de botar um som (NÃO SOU DJ!!), faço com muitíssimo prazer, desde 1998. Já rolaram sessions em vários lugares e estados do Brasil (e alguns lugares do mundo), ao longo desses anos todos e, sempre, as melhores noites (ou dias) – as sessions mais memoráveis -- foram aquelas onde as pessoas estavam fluindo dentro do som, numa relax, curtindo mais do que um estilo em especial; curtindo a ESSÊNCIA do som...", diz BNegão.

PHUNK! de verão!
Quando? Sábado, dia 17 de janeiro, a partir das 23h
Onde? La Paz Club
Rua do Rezende, 82 - Lapa
Quanto? R$ 30,00

Lista amiga R$ 20 até 01h confirmando presença no evento.

Sorteio de DVDs de A Batalha do Passinho - O Filme e de Onde A Coruja Dorme - Documentario e de camisetas da PHUNK! entre os que botarem seus nomes na lista.

Proibido para menores de 18 anos

Mais informações: (21) 2509-2403
Saiba mais...

Um picolé bem carioca



A Kibon, linha de sorvetes da Unilever, e a Farm, marca carioca de moda, se uniram para comemorar os 450 anos da cidade do Rio de Janeiro, data que será celebrada no dia 1º de março deste ano. As empresas criaram um novo sabor de picolé: mate com limão, uma bebida típica e facilmente encontrada nas praias do litoral carioca.

O produto será vendido a partir do dia 15 de janeiro nos pontos de venda da Kibon espalhados pelas regiões Sul e Sudeste do país durante todo o verão e terá preço vase de R$ 2,75, podendo também ser adquirido nas lojas da Farm do Rio de Janeiro, de São Paulo, de Belo Horizone e do Espírito Santo, que também venderão esteiras de praia e bonés com a estampa que ilustra a embalagem do sorvete.

"A Kibon e a Farm têm uma relação muito forte com a cidade do Rio de Janeiro e tudo o que ela representa para quem vive ou passeia pela cidade. Pensando nisso, resolvemos unir cores e sabores para criarmos algo exclusivo e tipicamente carioca", afirma Katia Ambrosio, diretora de marketing da Kibon. "Para a embalagem, escolhemos a estampa maxi chita, um floral muito emblemático nosso, para que as pessoas que conhecem a Farm nos identifiquem logo de cara", completa Kátia Barros, diretora criativa da Farm.
Saiba mais...

Nerd Zone 2015


O universo nerd está em expansão. Nossa literatura e personagens de quadrinhos são sucesso na TV e no cinema. Nossos passatempos, como videogames e jogos de tabuleiro, ganham cada vez mais o mercado. Não há dúvida: O nerd caminha para ser a espécie dominante na cultura pop. Sim, nós vencemos!

Mas tudo que aumenta também pode se dividir. Hoje há vários tipos de nerds, várias tribos. Algumas mais recolhidas e estudiosas, outras mais exibidas e festeiras. E todas vão se encontrar no Nerd Zone, que vai colocar em um mesmo espaço os fãs de HQ, sci-fi, fantasia, terror e de jogos, sejam eles eletrônicos, de cartas, tabuleiros ou narrativos. E depois de cada dia de muita atividade, todos podem relaxar e se conhecer melhor ao som de DJs badalados e se servindo em um bar cheio de opções, noite adentro.

O Nerd Zone é uma comic-con diferente de tudo que você já viu. Original, cheia de personalidade, independente e até um pouco underground, mas sempre aberta a todos. Estamos trazendo ao carioca e ao visitante da cidade uma experiência para nerds, geeks e simpatizantes. Tudo isso em uma área bem localizada, em dois dos mais conhecidos espaços culturais do Rio: o Castelinho do Flamengo e o Oi Futuro do Flamengo.

Venha e volte sempre para participar de exposições, palestras, debates, peças e workshops de cartunistas, especialistas em cinema e quadrinhos, cosplayers, artistas, comediantes, web celebrities e até chefs de cozinha e rappers se aventurando por um universo com um centro de gravidade cada vez mais poderoso.

Programação completa:

Sexta-feira, 16 de janeiro
  • Festa aberta de lançamento, com presença de participantes, apoiadores e patrocinadores, a partir das 21h.
  • Estreia do espetáculo O Telefone, sobre dois amigos nos anos 70 que não se conhecem pessoalmente, como é comum hoje entre parceiros de jogos online. Direção de Caique Botikay, encenado por Bernardo Mendes e Fred Tolipan, com texto de Pereira Lima.
  • Nerd Food, com cardápio especial e temático da chef Tainá Tancredo.
  • Discotecagem de DJs.


Sábado, 17 de janeiro
  • Campeonato da Liga Oficial Pokémon 3DS, pela LOP-RJ: competidores disputam duas caixas de boosters como prêmio. (inscrições no site www.loprj.com)
  • Encontro com os Castro Brothers: A dupla famosa pelas paródias de MPB com letras sobre videogame conversa com os fãs e tocam alguns sucessos ao vivo.
  • Abertura da exposição Uncanny X-Men, com capas americanas históricas da revista dos X-Men. Palestra com Henrique Granado e Alexandre Rocha, especialistas em histórias em quadrinhos.
  • Festival de vídeos: Exibição de produções de terror e sci-fi, animações e fã filmes.
  • Videogames à disposição dos visitantes.
  • Palestra sobre o futuro dos filmes de super-heróis, com autores do site Abacaxi Voador (Henrique Granado, Cassiano Pinheiro e Alexandre Rocha).
  • Bate-papo com o coletivo Korja dos Quadrinhos, sobre HQs independentes, o desafio de se autopublicar e verdades sobre financiamento coletivo.
  • Apresentação de projetos culturais de gênero: voltado para profissionais de mercado, com presença de realizadores como Eduardo Kurt, Pedro Punk, Marcio Paes e Francisco Paschoal.
  • Performance do Coletivo Apavoramento Sound System, com apresentação de DJs, projeções e exibição de vídeo arte.
  • Nerd Food.

Sexta-Feira, 23 de janeiro
  • Estreia do espetáculo de terror Pânico na Mansão, sobre serial-killers, encenado em diversos espaços do Castelinho do Flamengo. (ingressos R$ 30,00)
  • Espetáculo O Telefone.
  • Nerd Food.
  • Discotecagem de DJs.

Sábado, 24 de janeiro
  • Partidas de RPG. Carolina Neves, mestra de Role Playing Game, apresenta dois jogos aos adeptos do estilo: o polêmico Kill Puppies for Satan e A Fita. (Inscrições no Castelinho, dia 17/01)
  • Encontro com o Fantoche Marcelinho: Erik Gustavo, criador da série para a web Marcelinho Lendo Contos Eróticos, conversa com os fãs e manipula seu fantoche para ler um conto ao vivo.
  • Workshop de Manipulação de Personagens: O grupo 100 Modos, conhecido pelo trabalho no lendário TV Colosso (Globo), exibe vídeos, conversa com os participantes e ensina como filmar com interação entre bonecos e pessoas. (Inscrições no Castelinho, dia 17/01)
  • Workshop de Brinquedos em Crochê da Zoria: A ilustradora e designer Lara Mendina ensina a arte dos amigurumis, que são bonecos confeccionados a mão com uma técnica japonesa. (Inscrições no Castelinho, dia 17/01)
  • Workshop com Marcelo Vindicato: O ator e roteirista fala de seu trabalho e dá dicas para quem deseja trabalhar com TV e cinema. (Inscrições no Castelinho, dia 17/01)
  • Palestra de Luciano Cunha, autor do quadrinho de sucesso O Doutrinador, sobre seu trabalho e novidades.
  • Debate com Luciano Cunha e Anderson Barbosa sobre o mercado de quadrinhos no Brasil.
  • Festival de vídeos: Exibição de produções de terror e sci-fi, animações e fã filmes.
  • Videogames à disposição dos visitantes.
  • Apresentação do DJ Nepal.
  • Nerd Food.

Sexta-Feira, 30 de janeiro
  • Espetáculo de terror Pânico na Mansão. (ingressos R$ 30,00)
  • Espetáculo O Telefone.
  • Nerd Food
  • Discotecagem com DJ

Sábado, 31 de janeiro
  • Campeonato de Magic.
  • Palestra sobre a Nova Trilogia de Star Wars: Organizadores da maior convenção sobre Guerra nas Estrelas no Brasil, a Jedicom, conversam com os fãs da franquia sobre fatos e especulações acerca dos próximos filmes da saga. Com Brian Moura e Henrique Granado, do Conselho Jedi Rio.
  • Debate com os cartunistas Arnaldo Branco e Daniel Lafayette sobre seus trabalhos e o mercado de tirinhas no Brasil.
  • Debate sobre o filme Interestelar e os novos filmes de ficção científica, com o Clube de Leitores de Ficção Científica.
  • Palestra sobre a revista Tarja Preta, com Matias Maxx e Daniel Juca. O papo é sobre os casos inusitados na história da publicação e os novos caminhos da revista.
  • Workshop de Concepção e Desenvolvimento de Personagens: O cineasta Eduardo Kurt mostra seu processo de criação de personagens femininos para os gêneros de terror, fantasia e ficção cientifica, com exposição de figurinos e acessórios. (Inscrições no Castelinho, dia 17/01)
  • Festival de vídeos: Exibição de produções de terror e sci-fi, animações e fã filmes.
  • Videogames à disposição dos visitantes.
  • Apresentação dos DJs Marcus Vinicius e Rapha Lima.
  • Nerd Food.

Sexta-feira, 6 de fevereiro
  • Virada Cultural do Espetáculo Pânico na Mansão, com apresentação da peça seguida de festa. (ingressos R$ 30,00)
  • Nerd Food
  • Discotecagem de DJs

Sábado, 07 de fevereiro
  • Concurso de Cosplay: Especialistas em caracterização de personagens mostram suas fantasias para um júri bem-humorado, formado por Bernardo Mendes, Daniel Zettel, Larissa Jorge, Ulisses Mattos e Téia Kane. Os cosplayers disputam um prêmio de R$ 2 mil. (Inscrições no Castelinho, dia 17/01)
  • Jogando Conversa Especial Nerd: O comediante Fernando Caruso é o convidado para a edição ao vivo do programa para a web que mistura jogos de tabuleiro e bate-papo apresentado por Rafael Studart e Ulisses Mattos.
  • Lançamento de X-Wing, novo jogo da Galápagos: A principal empresa de jogos de tabuleiros no Brasil apresenta seu mais novo produto, que será jogado ao vivo pelo comediante Fernando Caruso ao lado de outros fãs do gênero. (Inscrições no Castelinho, dia 17/01)
  • Workshop de Maquiagens Fantásticas: A equipe da Nurder, especializada em maquiagem de terror e efeitos visuais, demonstrará seu trabalho com personagens de filmes de terror e ensinará técnicas de maquiagem para caracterização de um zumbi. (Inscrições no Castelinho, dia 17/01)
  • Lançamento do livro Apagão, de Raphael Fernandes e Camaleão.
  • Festival de vídeos: Exibição de produções de terror e sci-fi, animações e fã filmes.
  • Videogames à disposição dos visitantes.
  • Batalha de MCs com a temática do evento.
  • Apresentação do DJ Bluntzilla.
  • Nerd Food.

Em todos os sábados o Nerd Zone contará com:
  • Barraca do Beijo com cosplayers de ambos os sexos. (Atração paga)
  • Correio do Amor Nerd, com cantadas do Piadas Nerds em cartões ilustrados. (Atração paga)
  • Estandes convidados de produtores e empresas relacionadas à temática do evento, para promoção de marcas e vendas de camisas, artigos colecionáveis, DVDs, revistas etc. Lá confirmados: Street Comics, NerdWear, Korja dos Quadrinhos e La Cucaracha.
  • Exposição Uncanny X-Men, com capas americanas históricas da revista dos X-Men, além de outros títulos de destaque da Marvel.


Nerd Zone
Onde e quando?
Castelinho do Flamengo
Praia do Flamengo, 158 - Flamengo
Sextas, das 19h às 2h e sábados, das 9h às 2h (estandes até as 19h).

Oi Futuro Flamengo
Rua 2 de Dezembro, 63 - Flamengo
Sábados, das 11h às 20h.

Quanto? Entrada franca (algumas atrações são pagas)


Saiba mais...

Rider Weekends 2015



Já prestigiado festival do verão carioca, o Rider Weekends chega à sua quarta edição, na Marina da Glória, entre os dias 15 e 31 de janeiro, com novidades que vão além da programação de festas e shows.

Confira a seguir a programação do festival:

Quinta, 15 de janeiro
Criolo + Madureira Disco Clube
O festival já começa em grande estilo. Criolo abre o Rider Weekends mandando os sons de seu novo álbum, "Convoque seu Buda". E pra garantir nenhum momento de silêncio, rola, antes e depois do show, a festa Madureira Disco Clube, com Nepal, Tucho, Saddam e Pachu.

Sexta, 16 de janeiro
Rio Porque Tô no Rio + Nas Internas
Sexta é dia de deixar tudo Nas Internas, festa que surgiu entre amigos e traz novidades a cada edição. A noite é dividida com quem entende muito bem o estilo carioca: a Rio porque tô no Rio vai explodir a pista com o melhor que a cidade maravilhosa tem pra dar!

Sábado, 17 de janeiro
Modinha! A Festa + Vambora!
No primeiro sábado, a Marina vai explodir com Modinha! A Festa. São mais de quatro anos reunindo quem mais gosta de se acabar na pista. Mas a gente sabe que a galera #lifeaholic aguenta mais, então também rola Vambora!, pra você viver de novo uma das melhores épocas da sua vida.

Quinta, 22 de janeiro
Banda do Mar + Sinara + Dônica
O segundo fim de semana começa com a Banda do Mar - Camelo, Mallu e Fred Ferreira - num mix de indie e mpb, seguida pelo som da galera da Tecla Music. Rola também Sinara, banda que une reggae e rock, e Dônica, que fica entre o rock progressivo e umas ondas experimentais.

Sexta, 23 de janeiro
Esbórnia + Tropkillaz + Vale Night (SP)
A sexta começa com #Esbórnia, uma das maiores e mais animadas festas da cidade, preparando a pista para o Tropkillaz, fenômeno brasileiro da trap music. E ainda tem visita! A festa Vale Night desembarca no Rio para provar que paulista também sabe fazer festa!

Sábado, 24 de janeiro
Coordenadas + Autoramas & BNegão
Com rock, soul, bazucas e grooves, a festa Coordenadas invade a Marina da Glória no segundo sábado do nosso festival. Para completar a noite, Autoramas e BNegão fazem um show com uma atmosfera de rock, rap e hip hop. Uma noite com muitos sons!

Quinta, 29 de janeiro
The Brand New Heavies + Jazz Ahead
Tem banda gringa no Rider Weekends! Direto de Londres, The Brand New Heavies junta funk, soul, acid jazz, disco e hip hop em um som que vai reverberar por toda Baía. Ainda rola Jazz Ahead, eleita melhor festa do Rio por sua mistura de jazz e groove.

Sexta, 30 de janeiro
Rocka-Rocka + I Hate Party
Quem sabe mais de festa do que os fotógrafos que cobrem eventos mundo a fora? I Hate Party, da galera do I Hate Flash, vai fazer a Marina toda vibrar. Mas não paramos por aqui: também rola Rocka Rocka, a festa atemporal que traz o melhor do rock n’ roll para a sua sexta-feira.

Sábado, 31 de janeiro
Do Leme ao Pontal + Que País é Esse?
E pra dar tchau pra essa galera linda, o último sábado do festival homenageia o melhor da MPB, o Rio e os cariocas com a festa Do Leme ao Pontal. Pop, rock nacional e um pouquinho de política completam a noite, com a festa Que País é Esse?.

Este ano, o evento contará com um projeto cenográfico que inclui a instalação de 52 containers com intervenções e grafitti assinados por artistas renomados, entre eles, Bruno Big – também curador do projeto – Marcelo Jou, Madruga, Tiago Tarm, Guga Liuzzi e Bili Gebara.

Para dar vida ao conceito do evento LIFEAHOLIC, foi criado um cenário que reproduzirá uma espécie de "ilha perdida", introduzida na identidade visual do evento. Além das instalações e intervenções dos artistas, formas geométricas e imagens naturais e artificiais irão se misturar e invadir a Marina nos fins de semana, sempre de quinta a sábado. Geralmente utilizados para transporte marítimo de cargas pesadas, os containers, no Rider Weekends, serão como carcaças que darão assas a imaginação. Tudo pra você mergulhar em uma atmosfera única de shows, festas, instalações, projeções e intervenções de artistas gráficos.

Rider Weekends 2015
Quando? 15 a 31 de janeiro
Onde? Marina da Glória
Avenida Infante Dom Henrique, s/n - Glória
Quanto? os ingressos variam entre R$ 70,000 (meia) e R$ 140 (inteira)
Passaporte para 3 dias de shows: R$ 314,50 a inteira (20% de desconto)
Passaporte para 3 dias de festas: R$ 216,00 a inteira (15% de desconto)

Vendas online: ingressorapido.com.br

Ponto de venda sem taxa de convenciência:
Loja Vivo (Rua Visconde de Pirajá, 443 - Ipanema)

Saiba mais...

Bailinho homenageia a festa RoNca RoNca



Depois de uma edição em dezembro que contou com aproximadamente 2.500 pessoas, o Bailinho faz no dia 10/01 mais uma festa das quatro programadas para o período de verão. Rodrigo Penna, DJ residente e que criou o evento em 2007, homenageia dessa vez a festa RoNca RoNca e convida o DJ Maurício Valladares, que fará um set de 1h com música brasileira.

Maurício é um pesquisador e pensador da música pop, responsável por lançar diversas bandas nas ondas do dial carioca e do resto do Brasil pelo seu programa RoNca RoNca. Em 1992 ele criou a festa de mesmo nome, com um repertório eclético voltado para o rock and roll, porém com hits de outros ritmos para surpreender o público.

Mais que uma festa, o Bailinho é praticamente um espetáculo, unindo música POP com poesia, performances, DJs, flash mobs, os charmosos brindes e sempre muitas surpresas.

Um Bailinho nunca é igual a outro; a festa está sempre se renovando e procurando inovar. E o público sabe o que esperar de uma das grandes marcas da festa, o set musical do Rodrigo. Um encontro de ritmos e épocas, o melhor da música POP através dos tempos. E tudo isso misturado com poesia, samplers e todo tipo de sons que mexam com o imaginário do público. A pista bomba, pés descalços, rostos molhados de alegria, braços pra cima e um verdadeiro coro em quase todo refrão. No Bailinho é assim, todos ficam à vontade e o único compromisso é a diversão.

"O Bailinho é uma festa que as pessoas sabem que poderão dançar de tudo. Por isso, tantos clássicos, mas também sempre gosto de trazer músicas que apontam novos caminhos e estilos", explica Rodrigo. E completa "Adoro essa gincana criativa dos bailes. Sempre que preparamos mais uma volta, uma re-volta dá uma ansiedade gostosa e muita vontade de ver a pista cheia de gente curtindo. Pra mim é isso que vale, a alegria e as sensações que o público experimenta no Baile".


Bailinho homenageia a Festa RoNca RoNca
Quando? 10 de janeiro às 21h30
Onde? Píer Mauá – Anexo 4
Avenida Rodrigues Alves, 10 - Centro
Quanto? De acordo com o número do lote vigente.

Próximas edições: Jan: dias 10 e 24 / Fev: dia 7.

Mais informações: (21) 3923-5224 / www.bailinho.com
Saiba mais...

O que mais já passou por aqui

Não podemos esquecer também dos outros posts mais antigos que também passaram por aqui. Confira abaixo alguns deles que deram o que falar!