Últimos Posts
Cultura

Teatro

Shows

Exposições

Noite

Festas

Esportes

Eventos Esportivos

Festival Internacional de Vídeo & Dança realiza sua 13ª edição



De 4 a 16 de agosto o Festival Internacional de Vídeo & Dança leva sua programação gratuita para o Centro Cultural Oduvaldo Vianna Filho, conhecido como Castelinho do Flamengo. A 13ª edição do evento, conta com a tradicional MIV – Mostra Internacional de Videodança, oficinas e encontros com convidados nacionais e internacionais.

Com direção de Paulo Caldas, Leonel Brum, Eduardo Bonito e Regina Levy, o Festival está há 13 anos na vanguarda da discussão sobre dança e vídeo. Nessa edição o evento apresenta 126 videodanças de países como Alemanha, Dinamarca, EUA, França, Israel, Itália e Taiwan. Reconhecida como uma das mais representativas plataformas internacionais de videodança, a Mostra Internacional de Videodança desse ano recebeu 215 inscrições, de 21 países diferentes e ainda conta com a parceira de 8 festivais internacionais para exibição de seus programas on tour.

"Desde a criação do evento, em 2003, estamos atentos aos mais diversos modos de associação entre vídeo e dança (ou, mais abrangentemente, imagem e corpo). Entre eles, a videodança se consolidou como uma referência maior para público e artistas. Nela, a dança é feita de vídeo, e o vídeo é feito de dança", explica Paulo Caldas, diretor e fundador do Festival.

Na edição deste ano, se destacam retrospectivas instalativas dos artistas Simon Fildes (Reino Unido) e da dupla chameckilerner - Rosane Chamecki e Andrea Lerner (BRA/EUA). Reconhecido internacionalmente como realizador em videodança, Simon Fildes ministra também a oficina Filmar para a edição; editar para a dança, onde serão explorados modos pelos quais as técnicas de câmera e edição podem produzir características usualmente ligadas à performance cênica. Rosane Chamecki e Andrea Lerner ministram a oficina Estudo para Vídeo e Dança. Com participações em festivais nacionais e internacionais e um vasto currículo de obras videográficas, a dupla traz para o evento a experiência de criação para vídeo e tematiza os fundamentos do trabalho coreográfico para a câmera.

O Festival promove ainda encontros com as artistas Cynthia Domenico (SP) e Martha Hincapié (Colômbia/Berlim) e ainda um encontro entre alunos de cursos de graduação em dança do Ceará e do Rio de Janeiro, quando serão exibidos vídeos inéditos criados para o festival.

"Esperamos mais uma vez celebrar a evolução da videodança na cidade, com artistas, especialistas e público, provocando reflexões sobre o desenvolvimento da dança em suas relações com o audiovisual", complementa Leonel Brum, diretor do dança em foco.

Programação:

Terça, 4 de agosto 
19h - Abertura das instalações, da MIV e encontro com Gustavo Gelmini

Quarta, 5 de agosto
13h às 21h – MIV – Mostra Internacional de Videodança e Instalações

Quinta, 6 de agosto
13h às 21h – MIV – Mostra Internacional de Videodança e Instalações
19h30 - Encontro com Cynthia Domenico

Sexta, 7 de agosto
13h às 21h – MIV – Mostra Internacional de Videodança e Instalações
19h30 - Encontro com Universidades 

Sábado, 8 de agosto
13h às 21h – MIV – Mostra Internacional de Videodança e Instalações
19h30 - Encontro com Rosane Chamecki e Andrea Lerner (chameckilerner)

Domingo, 9 de agosto
13h às 21h – MIV – Mostra Internacional de Videodança e Instalações

Terça, 11 de agosto
13h às 21h – MIV – Mostra Internacional de Videodança e Instalações

Quarta, 12 de agosto
13h às 21h – MIV – Mostra Internacional de Videodança e Instalações

Quinta, 13 de agosto
13h às 21h – MIV – Mostra Internacional de Videodança e Instalações
19h30 - Encontro com Martha Hincapie

Sexta, 14 de agosto
13h às 21h – MIV – Mostra Internacional de Videodança e Instalações

Sábado, 15 de agosto
13h às 21h – MIV – Mostra Internacional de Videodança e Instalações
19h30 - Encontro com Simon Fildes

Domingo, 16 de agosto
13h às 21h – MIV – Mostra Internacional de Videodança e Instalações


Festival Internacional de Vídeo & Dança
Quando? De 4 a 16 de agosto, das 13 às 21h
Onde? Centro Cultural Oduvaldo Vianna Filho - Castelinho do Flamengo
Praia do Flamengo, 158 - Flamengo
Quanto? Entrada Franca


Saiba mais...

Mergulho ou A Menina que Sangrava Poesia

Livre adaptação do livro O Diário de Anne Frank


O ano de 2015 marca as comemorações dos setenta anos de falecimento da jovem Anne Frank, figura histórica e emblemática que relatou, através de seu diário, as dores de um povo perseguido e massacrado pela segregação racial.

O texto, de César Valentim, que também assina a direção, é uma livre adaptação do livro, O diário de Anne Frank, narrada em terceira pessoa no qual se destacam os conflitos e descobertas de uma adolescente que vive a dicotomia de uma sociedade em meio ao caos instaurado pela Segunda Grande Guerra. O confinamento, a tirania e o preconceito são os principais agentes transformadores de sua visão de mundo, forjando novos valores e uma personalidade questionadora a frente de seu tempo, e suscita discussões acerca de assuntos ainda pertinentes em nossa sociedade atual.

Após um longo trabalho de pesquisa, que tem como referência o expressionismo alemão, o buthô e o teatro-dança, chegamos a uma linguagem que foge do realismo, optando pela personificação da grande e fiel companheira de Anne, durante os anos de confinamento.

Ficha Técnica:

Texto e direção: César Valentim
Atriz e produtora: Rita Grego
Cenário: José Facury Heluy
Figurino/Programação visual: Ricardo Rocha
Iluminação: Tiago da Silveira
Composição e arranjos musicais: Júlio Monteiro
Visagismo: Ernane Pinho
Adereços: Vanja Freitas
Fotografia: Carambola Estúdio e Paulo Mainhard
Mixagem: Ricardo Amorim
Edição trilha original: Rodrigo Enoque


Mergulho ou A Menina que Sangrava Poesia
Quando? Quartas e quintas, 5 a 13 de agosto, às 20h
Onde? Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas
R. Murtinho Nobre, 169 - Santa Teresa
Quanto? R$ 20,00

Mais informações: (21) 2215-0621


Saiba mais...

Bonitinha, mas Ordinária

O espetáculo da Cia Teatro Portátil, que divide o palco com atores convidados, utiliza filmes de animação para destacar a poesia do texto de Nelson Rodrigues




A CAIXA Cultural Rio de Janeiro apresenta Bonitinha, mas Ordinária, de 7 a 30 de agosto, de quinta a domingo, às 19h. O espetáculo é resultado de uma pesquisa da Cia Teatro Portátil sobre a dramaturgia de Nelson Rodrigues.

Escrita em 1962, a peça apresenta uma reflexão obsessiva sobre a condição humana. A partir de um enredo de folhetim, o público acompanhará a trajetória de Edgard (Guilherme Miranda), um ex-contínuo que recebe uma proposta irrecusável de subir na vida, casando-se com Maria Cecília (Julia Schaeffer), filha do seu patrão, o Dr. Werneck (Edmilson Barros). Ele precisará revisar suas convicções, já que é apaixonado pela vizinha Ritinha (Elisa Pinheiro), uma menina pobre que faz de tudo para sustentar a mãe e as irmãs mais novas. Atormentado pela frase "o mineiro só é solidário no câncer", atribuída na peça ao escritor Otto Lara Resende, Edgard confronta sua ambição com seus princípios éticos.

O trabalho com a linguagem da animação, que permeia a trajetória da Cia Teatro Portátil, está presente em filmes e ilustrações que apoiam a narrativa e ressaltam a poesia do texto. "Buscamos valorizar a palavra de Nelson. Falar diretamente com a plateia permitindo que percebam como esse grande autor brasileiro permanece vivo e dialoga com a atualidade", destaca o diretor Alexandre Boccanera.

Os filmes de animação foram criados especialmente para o espetáculo pela dupla de animadores paulistas Beatriz Carvalho e Diogo Nii Cavalcanti, parceiros da companhia desde a montagem de Valsa nº6, que tinha uma boneca no papel-título.

A trilha sonora de Guilherme Miranda propõe uma releitura do twist, ritmo que marcou os anos 1960, e ressalta o lado romântico de Nelson Rodrigues, com citações da música tema do filme Love Story. O espaço cênico criado por Mina Quental mistura os atores com a plateia colaborando para a agilidade da encenação e para uma comunicação direta com os espectadores.

A temporada de Bonitinha, mas Ordinária será acompanhada de uma oficina gratuita, nos dias 12 e 13 de agosto (quarta e quinta-feira), das 14h às 17h, sobre a dramaturgia de Nelson Rodrigues, ministrada pelo diretor Alexandre Boccanera. Voltada para estudantes e profissionais de teatro, a oficina pretende promover uma reflexão sobre a obra de Nelson, comparando montagens, textos e depoimentos de críticos, atores e encenadores.

Ficha Técnica

Texto: Nelson Rodrigues
Direção: Alexandre Boccanera
Codireção: Duda Maia
Elenco: Julia Schaeffer, Guilherme Miranda, Elisa Pinheiro, Ana Moura, Anderson Cunha, Diego de Abreu, Edmilson Barros, Ingrid Conte e Morena Cattoni.
Direção Musical e Trilha Sonora: Guilherme Miranda
Cenografia: Mina Quental
Figurino: Patrícia Muniz
Filmes de Animação: Beatriz Carvalho e Diogo Nii Cavalcanti
Iluminação: Aurélio de Simoni
Preparação Corporal e Direção de Movimento: Joana Ribeiro e Marito Olsson-Forsberg
Preparação Vocal: Ana Frota
Assistente de Direção: Márcio Freitas
Produção Executiva: Clarissa Quintieri
Realização: Cia Teatro Portátil
Produção: Boccanera Produções Artísticas


Espetáculo Bonitinha, mas Ordinária
Quando?  7 a 30 de agosto de 2015 (quinta-feira a domingo) às 19h
Onde?  Caixa Cultural Rio de Janeiro - Teatro de Arena
Avenida Almirante Barroso, 25 - Centro
Quanto? R$ 10,00 (inteira) / R$ 5,00 (meia). 
Além dos casos previstos em lei, clientes CAIXA pagam meia.

Lotação: 96 lugares (mais 4 para cadeirantes)
Classificação Indicativa: 16 anos

Oficina A poética de Nelson Rodrigues
Quando? 12 e 13 de agosto de 2015, das 14 às 17h
Onde? CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Teatro de Arena
Avenida Almirante Barroso, 25 – Centro (Metrô: Estação Carioca)
Quanto? Entrada Franca

Inscrições pelo e-mail: boccanera.contato2@gmail.com
Vagas: 40
Mais informações: (21) 3980-3815


Saiba mais...

Jaques Morelenbaum e Cello Samba Trio lançam CD "Saudade do Futuro - Futuro da Saudade"



O violoncelista, compositor, arranjador e produtor brasileiro Jaques Morelenbaum fará dois shows de lançamento de seu recente CD Saudade do Futuro - Futuro da Saudade, com o Cello Samba Trio, nos próximos dais 7 e 8 de agosto, no Espaço SESC, produzidos por Carlos Alberto Sion. Buscando uma visão panorâmica do samba, desde suas raízes até os dias de hoje, o repertório trará releitura de composições de Antonio Carlos Jobim, João Gilberto, Carlos Lyra, Caetano Veloso, Gilberto Gil, João Donato, Baden Powell, Egberto Gismonti, Jacob do Bandolim, assim como trabalhos de uma nova geração de compositores, como Luisão Paiva e Lula Galvão, além de suas composições originais. O trio é formado ainda pelo violonista Lula Galvão e pelo baterista Rafael Barata.

Em meio aos inúmeros estilos musicais desenvolvidos no Brasil, o samba é aquele que melhor representa a vasta diversidade cultural deste país. A perfeita mistura entre influências africanas, europeias e nativas brasileiras, resultaram nesse ritmo e onda musical cheios de charme, sensualidade, graça melódica e sofisticação harmônica, os quais servem aos amantes da música tanto para os deleites da dança quanto para a degustação estética e aprofundamento espiritual.

A partir de Heitor Villa-Lobos, o cello se tornou um dos ícones musicais do Brasil. Seu doce e romântico timbre, a semelhança de seu som com a voz humana, sua natural flexibilidade entre articulações gingadas e pura poesia, fizeram este instrumento, originalmente europeu, assumir uma identidade muito brasileira. O cello tem sido amado e utilizado como um meio de expressão bastante particular e peculiar por grandes compositores brasileiros, como Antonio Carlos Jobim, Egberto GismontiCaetano Veloso e Gilberto Gil entre tantos outros.

O carioca Jaques Morelenbaum, nascido em 1954 e em quarenta anos de atividades musicais, tem colaborado com grandes expoentes da música brasileira e internacional, seja em concertos ou em produções fonográficas. Atuou por dez anos na Nova Banda de Antonio Carlos Jobim, excursionou por todo o mundo durante cinco anos tocando com Egberto Gismonti, foi diretor musical, arranjador e violoncelista de Caetano Veloso por quatorze anos, tem colaborado desde os anos noventa com Ryuichi Sakamoto, com quem gravou, entre outros, o CD Casa. Atuou e gravou com Sting, Cesária Évora, Gal Costa, Mariza, David Byrne, Milton Nascimento, Henri Salvador, Omar Sosa, Bill Frisell, Hubert Laws, Kenny Barron, João Donato, Julieta Venegas, John Scofield, entre tantos outros. Desde 2009 vem apresentando‐se com Gilberto Gil em seu projeto Concerto de Cordas e Máquinas de Ritmo.


Jaques Morelenbaum e Cello Samba Trio
lançam CD "Saudade do Futuro - Futuro da Saudade"
Quando?  7 e 8 de agosto, às 20h30
Onde? Espaço SESC Copacabana
R. Domingos Ferreira, 160 - Copacabana
Quanto? R$ 20,00 (inteira) / R$ 5,00 ( associados) / R$ 10,00 (estudantes e idosos)

Classificação livre
Capacidade: 240 lugares
Mais Informações: (21) 2547-0156 

Saiba mais...

HANNA faz noite de autógrafos de seu CD em homenagem a João Gilberto



Após lançar, de forma bem especial, o CD O Amor é Bossa Nova - Homenagem a João Gilberto no mesmo dia em que o célebre músico comemorou seus 84 anos, a cantora HANNA fará um cocktail com noite de autógrafos no próximo dia 4 de agosto, terça, às 19h na Livraria da Travessa, em Ipanema. A cantora, com uma carreira internacional recheada de apresentações, ao longo dos últimos 20 anos, em clubes de jazz da Itália, Suíça, Grécia, França, também se apresentou em importantes casas de show do Rio (Sala Baden Powell, Teatro Rival, Planetário da Gávea, Forte de Copacabana, dentre outros) e prevê shows de lançamento em Paris, Nova York e Japão.

O álbum O amor é Bossa Bova – Homenagem a João Gilberto traz uma seleção dos standards do gênero imortalizados por João Gilberto, com a doce interpretação e requinte da cantora que começou na música se apresentando em clubes de jazz em Paris, por onde passaram ícones como Billie Holiday e Nina Simone, por exemplo. No disco, estão os clássicos Desafinado, Garota de Ipanema, Ela é carioca, Chega de saudade, Meditação, Este seu olhar, O amor em paz, Saudade fez um samba, O Pato, Menino do Rio, Wave, Bahia com H, além de Inútil paisagem, Dindi, Por causa de você e Nem eu. Ou seja, composições de Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Ronaldo Bôscoli, Carlos Lyra e Dorival Caymmi, dentre outras, eternizadas por João Gilberto.

A cantora, compositora e atriz nasceu em Maceió, Alagoas, e começou muito menina na Radio Difusora de Alagoas, onde foi eleita a Rainha do Rádio. Mais tarde, no Rio de Janeiro, iniciou também carreira de modelo e atriz, realizando campanhas publicitárias e filmes.

Em 1981, gravou para a trilha sonora do filme Xavana a ilha do amor, de Zigmunt Sulistrowski, no qual também atuou como atriz no papel de uma cantora. Anos depois, em 1984, gravou, pela Som Livre, uma música para a personagem de Christiane Torloni na novela Partido Alto, de Aguinaldo Silva e Glória Perez. Além do LP da novela, a música Sentimentos deu nome a outro disco, pela mesma gravadora, com produção de Alexandre Agra, arranjos de Ricardo Cristaldi e direção geral de Guto Graça Mello.

Em 1999, gravou o CD independente Eu te amo, lançado em cadeia nacional no programa Jô Soares onze e meia, no SBT. Em 2001, lançou o CD Nós em Nós, pela Ipanema Records, no qual canta compositores consagrados como Caetano Veloso, Rita Lee, Gonzaguinha, Cazuza e outras de própria autoria.


HANNA faz noite de autógrafos do CD O amor é Bossa Nova – Homenagem a João Gilberto
Qunado? Terça, 4 de agosto, às 19h
Onde? Livraria da Travessa de Ipanema
R. Visconde de Pirajá, 572 - Ipanema
Quanto? Entrada Franca

Classificação livre
Mais Informações: (21) 3205-9002


Saiba mais...

Confira os destaques da programação de agosto do CCBB-Rio


Em agosto, o Centro Cultural Banco do Brasil recebe Tom Zé, Pepeu Gomes e Márcia Castro no festival Invasão Baiana. Reunindo nomes consagrados e intérpretes da nova geração, a seleção também traz DJ Mauro, Baiana System, Telefunk-soul, Retrofoguetes e DJ Lord Breu, entre outros. De 15 a 23, sábados, às 21h e domingos, às 16h.

Leonardo Vieira, Malu Valle, Xando Graça entram em cena para viver o mais novo espetáculo de Visniec: Paparazzi. Utilizado de forma alternativa a sala de exposição D do segundo andar do prédio, a diretora Adriana Maia apresenta o fim do mundo em ritmo cinematográfico e frenético. No elenco, também estão presentes Alexandre David, Alexandre Varella, Isa Loski, Karla Conca, Lippy Adler e Rafael Queiroz. Até 24 de agosto, às 19h. De quarta a segunda.

O Assim Vivemos chega à 7ª edição trazendo um painel rico e plural das questões mais atuais e pertinentes que movem as pessoas com deficiência nas mais diferentes culturas. Alemanha, Austrália, Bélgica, Chile, Espanha, França, Irã, Israel, Itália, México, Rússia e Ucrânia são alguns dos países presentes na seleção de mais de 30 títulos, que neste ano reúne também sete produções brasileiras. De 05 a 17 de agosto, em diversos horários.

BR-TRANS é o espetáculo idealizado pelo ator Silvero Pereira, sob direção de Jezebel De Carli, que dá vida a relatos reais de travestis, transexuais e transformistas, coletados do Nordeste ao Sul do País. De 06 de agosto a 06 de setembro às 19h30. De quarta a segunda.

Hannah Arendt, uma das mais importantes pensadoras do século XX, ganha vida a partir da atuação de Kelzy Ecard e direção de Isaac Bernat. Explorando principalmente o tema da banalidade do mal, o texto de Marcia Zanelatto foi contemplado no Prêmio Myriam Muniz com nota máxima (100). De 27 de agosto a 04 de outubro, às 19h. De quarta a domingo.

A terceira atração do Prêmio CCBB Contemporâneo que ocupa a Sala A até 2016 é a instalação inédita Ultramarino de Vicente de Mello. Imagens repetidas e alternância de luzes coloridas de um farol transformam o ambiente e inspiram "um outro lado do mar".

A série de encontros Arte e Ciência permanece em cartaz e traz o matemático Francisco Antônio Doria e o artista plástico Arthur Omar em um encontro com o público sobre os diversos caminhos do conhecimento. 26 de agosto.

Até sete de setembro, fica em cartaz no CCBB Rio, a exposição Picasso e a Modernidade Espanhola, com obras da coleção do Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia. A curadoria de Eugenio Carmona evidencia as relações da obra de Picasso e seus contemporâneos espanhóis Miró, Dalí, Domínguez e Tàpies, entre outros.


Eventos de Agosto no CCBB - Rio
Quando? De quarta à segunda, das 9 às 21h
Onde? Centro Cultural Banco do Brasil
Rua Primeiro de Março, 66 - Centro


Saiba mais...

O que mais já passou por aqui

Não podemos esquecer também dos outros posts mais antigos que também passaram por aqui. Confira abaixo alguns deles que deram o que falar!